Durante o período de chuvas, um dos maiores problemas da população pobre que mora nos morros da região metropolitana do Recife é o deslizamento de barreiras. Em alguns casos, a infiltração da água da chuva provoca apenas destruição de casas construídas, em geral, irregularmente em áreas de risco. Outras vezes, as quedas de barreiras são verdadeiras tragédias.

Um dos casos mais graves ocorreu a 29 de abril de 1996, matando 51 pessoas e deixando mais de três mil desabrigadas entre os municípios do Recife, Olinda e Camaragibe. Na ocasião, a área mais afetada foi o Córrego do Boleiro, no bairro de Casa Amarela, Recife, onde 12 pessoas morreram soterradas. Nos três municípios atingidos, os bombeiros trabalharam durante três dias e três noites para resgatar os corpos soterrados.