Emissora de rádio recifense criada a 04 de julho de 1948, por Francisco Pessoa de Queiroz, fundador do Jornal do Commercio, para concorrer com a única emissora existente no Estado à época, que era a Rádio Clube de Pernambuco.

Tinha o slogan nada modesto de "Pernambuco falando para o mundo" e até o presidente da República, Eurico Gaspar Dutra, veio ao Recife participar de sua inauguração. Sua instalação custou a fortuna de CR$ 36 milhões; foi a primeira estação da América Latina a possuir oito transmissores; o prédio esbanjava luxo, com auditório para 700 pessoas.

O primeiro programa transmitido foi "Protofonia". Na chamada era de ouro do rádio, chegou a transmitir oito novelas diárias ("Jerônimo, o Herói do Sertão"; "Sangue do Meu Sangue"; "A Eterna Presença do Pecado" e outras) e foi em um dos seus programas de entretenimento, "Feira de Novidades", que o compositor paraibano Jackson do Pandeiro iniciou sua carreira artística. Pertence à Empresa Jornal do Commercio e tem sede na Rua do Lima.