Jornalista, escritor e professor universitário, Potiguar Figeuiredo Matos nasceu em Pesqueira, em 1921. Iniciou no jornalismo ainda adolescente, no jornal A Voz de Pesqueira.

Entre 1976/1996 foi editorialista do Diario de Pernambuco. Professor em vários colégios e faculdades recifenses.

Entre 1972/1975, foi presidente do Serviço Social Agamenon Magalhães. Foi, também, chefe do Departamento de História da Universidade Federal de Pernambuco (1976/1980) e diretor do Arquivo Público de Pernambuco (1991/1996).

Fundador do Centro de Estudos de História Municipal, vinculado à Academia Pernambucana de Letras e aos Institutos Arqueológicos, Históricos e Geográficos do Brasil e de Pernambuco. Entre 1994/1996, foi presidente do Conselho Municipal de Cultura, Recife.

Era bacharel em Ciências Jurídicas e Sociais e em História. Morreu no Recife, a 19 de fevereiro de 1996, deixando vários livros publicados (poesias, ensaios e discursos).

Bibliografia: "Da História Americana - Possíveis Sugestões em Torno de uma Interpretação Pragmática"; "História - O Problema da Natureza"; "Considerações à Margem de um Humanismo"; "Em Torno de uma Teoria do Simbolismo"; "Gilberto Freyre, Historiador"; "Exercícios de História - Alguns Temas Sugestivos"; "Cultura Luso-Brasileira e Ecumenismo"; "Atualidade dos Estudos Históricos"; "Clube Internacional do Recife - Um Século de História"; "A Face e o Tempo" (Prêmio de Poesia Othon Bezerra de Mello, da Academia Pernambucana de Letras, 1982); "Gente Pernambucana"; "Gilberto Freyre - Presença Definitiva"; "Canto do Efêmero" e "Os Ventos de Agosto" (edições póstumas)