Paulo Reglus Neves Freire nasceu no Recife, a 19/09/1921 e morreu em São Paulo-SP a 02/05/1997). Considerado um dos mais importantes educadores do Brasil e reconhecido internacionalmente.

Ficou famoso por conta do método que criou para alfabetização de adultos, o chamado Método Paulo Freire, através do qual os alunos aprendem a ler e escrever a partir de palavras-chave do seu próprio dia-a-dia na comunidade.

O método foi aplicado pela primeira vez em 1962, na cidade de Angicos, interior do Rio Grande do Norte, para alfabetizar, em apenas 45 dias, um grupo de 300 trabalhadores rurais.

Convidado pelo então governador de Pernambuco, Miguel Arraes, Paulo Freire passou a aplicar seu método nas favelas do Recife, trabalho que fazia parte do Movimento de Cultura Popular, do qual foi um dos fundadores.

Durante o governo do presidente João Goulart, assumiu a direção do Plano Nacional de Educação, lançado a 21/01/1964, com a meta de alfabetizar 16 milhões de adultos em três anos. Mas veio o golpe militar de 1964 e Paulo Freire foi preso, ficando 70 dias na prisão, acusado de "atividades subversivas".

Mandado para o exílio, viveu no Chile até 1969; depois, percorreu vários paises. Em 1970 (juntamente com outros exilados brasileiros), fundou, em Genebra, Suíça, o Instituto de Educação Cultural-IDAC, com objetivo de assessorar movimentos de educação em ex-colônias portuguesas. No exterior, onde permaneceu 15 anos, lecionou em universidades de prestígio, entre as quais a de Harvard (USA) e a de Genebra.

Em 1979, foi beneficiado pela anistia e, no ano seguinte, retornou ao Brasil, sendo um dos fundadores do Partido dos Trabalhadores-PT. Entre 1989 e 1991, foi secretário de Educação da cidade de São Paulo, durante a gestão da paraibana Luiza Erundina. Foi professor da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo e suas dezenas de livros foram traduzidas para vinte idiomas.

Seu livro mais famoso, "Pedagogia do Oprimido", foi editado em 1970 (Editora Paz & Terra, RJ), mas só chegou às livrarias brasileiras quatro anos depois, porque a primeira edição foi censurada pelo governo militar. Estudou na Faculdade de Direito do Recife (onde ingressou em 1943) e, em 1959, obteve o grau de doutorado pela Universidade do Recife.

Morreu depois de passar três dias internado no Hospital Albert Einstein, em São Paulo, com problemas cardíacos.

Prêmios:
Prêmio Internacional Rei Balduíno da Bélgica para Desenvolvimento da América Latina (15/11/1980); Prêmio Educação para a Paz, da Unesco (16/09/1986);
Prêmio Moinho Santista (29/09/1995).

Outros cargos que ocupou:
Consultor de Educação para a América Latina do Conselho Mundial das Igrejas (1970);
professor de pós-graduação da Universidade de Campinas-SP - UNICAMP (1980).

Bibliografia:
* "Educação e Atualidade Brasileira", tese de concurso público para a cadeira de História e Filosofia da Educação da Escola de Belas Artes de Pernambuco, Universidade do Recife, 1959.
* "A Propósito de uma Administração", Imprensa Universitária, recife, 1961.
* "Alfabetização e Conscientização", Editora Emma, Porto Alegre, RS, 1963.
* "Educação Como Prática da Liberdade", Editora Paz e Terra, RJ, 1967.
* "Pedagogia do Oprimido", Editora Paz e Terra, RJ, 1970.
* "Extensão ou Comunicação?", Rio de Janeiro, 1988. Primeira edição no Chile, em 1969.
* "Ação Cultural para a Liberdade e Outros Escritos", Editora Paz e Terra, RJ, 1976.
* "Educação e Mudança", Editora Paz e Terra, RJ, 1981. Primeira edição na Argentina, 1966.
* "Cartas à Guiné-Bissau: Registros de uma Experiência em Processo", Editora Paz e Terra, RJ, 1977.
* "Consciência e História: a Práxis Educativa de Paulo Freire" (antologia), Loyola, SP, 1979.
* "Conscientização: Teario e Prática da Libertação - Uma Introdução ao Pensamento de Paulo Freire", Loyola, SP, 1979.
* "Ideologia e Educação: Reflexões sobre a Não-Neutralidade da Educação", Editora Paz e Terra, RJ, 1981.
* "A Importância do Ato de Ler", Cortez/Autores Associados, SP, 1982.
* "Sobre Educação", vol I, com Sérgio Guimarães, Editora Paz e Terra, RJ, 1982.
* "Educação Popular", Todos irmãos, Lins-SP, 1982.
* "Aprendendo com a Própria História", Editora Paz e Terra, RJ, 1987.
* "A Educação na Cidade", Cortez, SP, 1991.
* "Pedagogia da Esperança: Um Reencontro com a Pedagogia do Oprimido", Editora Paz e Terra, RJ, 1992.
* "Professora Sim, Tião Não: Cartas de Quem Ousar Ensinar", Olho D'Água, SP, 1993.
* "Política e Educação: Ensaios", Cortez, SP, 1993.
* "Cartas a Cristina", Editora Paz e Terra, RJ, 1994.
* "À Sombra desta Mangueira", Olho D'Água, SP, 1995. Com outros autores:
* "Vivendo e Aprendendo" , com Cláudio Ceccon, Rosiska Darcy de Oliveira e Miguel Darcy de Oliveira, Brasiliense, SP, 1980.
* "Paulo Freire ao Vivo", com professores e alunos da Faculdade de Ciências e Letras de Sorocaba, Loyola, SP, 1983.
* "Essa Escola Chamada Vida", com Frei Beto, Ática, SP, 1985.
* "Pôr uma Pedagogia da Pergunta", com Antônio Faundez, Editora Paz e Terra, RJ, 1985.
* "Pedagogia: Diálogo e Conflito", com Moacir Gadotti e Sérgio Guimarães, Cortez, SP, 1985.
* "Fazer Escola Conhecendo a Vida", com Adriano Nogueira e Débora Mazza, Papirus, Campinas-SP, 1986.
* "Alfabetização: Leitura do Mundo da Leitura da Palavra", com Donaldo Macedo, Editora Paz e Terra, RJ, 1990.
* "Medo e Ousadia: O Cotidiano do Professor", com Ira Shor, Editora Paz e Terra, RJ, 1987.
* "Na Escola Que Fazemos..., Uma Reflexão Interdisciplinar em Educação Popular", com Adriano Nogueira e Débora Mazza, Vozes, Petrópolis, 1988.
* "Que Fazer: Teoria e Prática em Educação Popular", com Adriano Nogueira, Vozes, Petrópolis, 1989.
* "Disciplina na Escola: Autoridade Versus Autoritarismo", com Arlete D"Antola, EPU, SP, 1989.
* "Educação como Ato Político Partidário", com Alberto Damasceno e Lisete Regina Gomes Arelaro, Cortez, SP, 1989.
* "Paulo Freire: Trabalho, Comentário, Reflexão", com Adriano Nogueira e João Wanderley Geraldi, Vozes, Petrópolis, 1990.

Sobre o autor:
* Comunicação e Cultura: As Idéias de Paulo Freire", Venício Artur de Lima, Editora Paz e Terra, RJ, 1981.