Tombado pelo Patrimônio Histórico Nacional, é uma área situada entre o Açude de Apipucos e o Rio Capibaribe, cortada pela Av. 17 de Agosto, Recife. As terras de Apipucos faziam parte do Engenho Monteiro e, na segunda metade do século XVI, já estavam povoadas.

Em 1645, a igreja do engenho foi saqueada pelos holandeses e a população abandonou o povoado, retornando em 1654, quando o engenho reiniciou suas atividades. A partir da segunda metade do século XVIII, o engenho começou a entrar em decadência, mas o povoado resistia.

No século XIX, Apipucos se transformou num local bastante procurado pelas famílias aristocráticas do Recife, que iam ali para realizar festas e tomar banho de rio. Atualmente, Apipucos é um bairro com muitos casarões restaurados.

Apipucos é uma palavra de origem Tupi (Apé-Puc) que significa "caminhos que se cruzam" ou "caminho que se divide". O nome teria sido adotado porque o povoado nasceu numa encruzilhada onde, no passado, existia uma aldeia.

Segundo o Censo do IBGE, em 2000 o bairro de Apipucos tinha os seguintes dados:

População: 3.467 habitantes

Área: 122,9 hectares

Densidade: 28,22 hab./há