É o canto entoado à cabeça dos moribundos (ou mortos) que teria o poder de despertar o horror ao pecado e levar ao arrependimento. Não exige acompanhamento instrumental, é cantado em uníssono, em forma de versos, geralmente por mulheres: a "tiradora de incelênça" comanda o ritual, seguido pelas pessoas que cercam o doente.

Acredita-se que a incelênça "facilita a entrada no céu". É iniciada no momento em que o doente está agonizando e, caso o cadáver seja retirado para o enterro sem que a incelênça tenha terminado, as cantadeiras acompanham o cortejo até terminá-la. Seria um desrespeito interromper uma incelênça antes do seu final e, o que é pior: isso faria com que o espírito não ganhasse a salvação. Em geral, a incelênça tem uma série de doze versos.