Marca PE AZ

bandeiraA bandeira de Pernambuco foi idealizada durante o movimento revolucionário conhecido como Revolução Pernambucana de 1817, mas só foi oficializada cem anos depois pelo então governador Manuel Antônio Pereira Borba.

O azul do retângulo simboliza a grandeza do céu do Estado; o branco representa a paz; o arco-íris em três cores (vermelho, amarelo, verde) representa a união de todos os pernambucanos; a estrela representa o Estado no conjunto da Federação; o sol é a força e a energia de Pernambuco; e a cruz representa a fé na Justiça e no entendimento.

0
0
0
s2sdefault

O Hino de Pernambuco, escolhido em concurso público, tem letra de Oscar Brandão e música de Nicolino Milano.

Estriblilho

Salve ó terra dos altos coqueiros
de beleza soberbo estendal!
Nova Roma de bravos guerreiro
Pernambuco imortal! Imortal!

I

Coração do Brasil, em teu seio,
Corre sangue de heróis - rubro veio,
Que há de sempre o valor traduzir,
És a fonte da vida e da história.
Desse povo coberto de glória
O primeiro talvez no porvir!

II

Esses montes e vales e rios,
Proclamando o valor dos seus brios,
Reproduzem batalhas cruéis
No presente és a guarda avançada,
Sentinela indormida e sagrada,
Que defende da Pátria os Lauréis.

III

Do futuro és a crença, a esperança
Desse povo que altivo descansa
Como o atleta depois de lutar
No passado teu nome era um mito,
Era o sol a brilhar no infinito
Era a glória na terra a brilhar!

IV

A República é filha de Olinda,
Alva estrela, que fulga e não finda
De esplendor com seus raios de luz.
Liberdade um teu filho proclama,
Dos escravos o peito se inflama
Ante o sol dessa terra da cruz.

0
0
0
s2sdefault

brasaoO Escudo de Pernambuco foi oficializado em 1895, pelo então governador Alexandre Barbosa Lima. No Escudo, aparece o leão, representando a força; a cana-de-açúcar e o algodão simbolizando a economia do Estado; as estrelas representam os municípios.

Aparecem ainda no Escudo as datas 1710, referência à Guerra dos Mascates; 1817, revolta ocorrida naquele ano; 1824 marcando a Confederação do Equador e 1889 numa alusão à Proclamação da República.

0
0
0
s2sdefault

A história do povoamento do Estado começou quando o Brasil foi dividido em capitanias hereditárias (1534) e o território onde hoje está Pernambuco foi doado a Duarte Coelho. Inicialmente, a capitania se chamou Nova Lusitânia e, em seguida, ganhou o nome indígena de pernambuco, que signifa "mar furado".

Duarte Coelho fundou, em 1537, as vilas de Olinda (capital administrativa) e de Igarassu, os dois pontos de onde partiram as expedições para desbravar o interior. Tem início a cultura da cana-de-açúcar e de algodão e as riquezas geradas despertam a cobiça dos europeus.

Em 1630, a capitania é invadida pelos holandeses que só seriam expulsos em 1654. Os anos de guerra para expulsão dos holandeses e conflitos internos abalaram a economia da capitania e, com o crescimento de outras regiões da Colônia (ressalte-se a descoberta de ouro em Minas Gerais), Pernambuco perdeu seu poder econômico.

Durante o governo holandês de Maurício de Nassau, Pernambuco elegeu a primeira Assembléia Legislativa da América do Sul. No Brasil Colônia, eclodiram no Estado várias revoltas separatistas. E, no Império, Pernambuco lutou por idéiais republicanos. Principais rebeliões: Revolta Pernambucana de 1817, Confederação do Equador, Revolta Praieira.

Em julho de 1930, João Pessoa (que era candidato a vice-presidente da República na chapa de Getúlio Vargas) foi assassinado no centro do Recife, episódio que daria início à Revolução de 1930. Pernambuco é o segundo maior polo industrial do Nordeste, perdendo apenas para a Bahia.

Localização - Situado a centro-leste da região Nordeste, Pernambuco tem uma áres de 98.281 Km2 mais os 18,2 Km2 do arquipélago de Fernando de Noronha que, em 1988, foi reincorporado ao seu território. Limita-se, ao Norte, com o Ceará e a Paraíba; a Oeste, com o Piauí; ao Sul, com Bahia e Alagoas; a Leste, com o Oceano Atlântico. Número de municípios: 184. Está dividido em três grande regiões geoeconômicas: Litoral/Mata, Agreste e sertão.

Clima - No Litoral/Mata, o clima é tropical úmido, com chuvas de outono a inverno, numa média histórica situada entre 1.500 a 2.000 mlímetros anuais; na área de caatinga, ou Sertão, (que corresponde a dois terços do território estadual) predomina o clima tropical semi-árido, com baixa pluviosidade (média de 600m anuais de chuva) concentrada no verão, mas sujeita a irregularidades que acabam provocando secas prolongadas. Na faixa de transição entre a Zona da Mata e o Sertão, a pluviosidade fica entre 650 a 1.000 milímetros anuais.

Rios - Pernambuco dispõe de 13 grandes bacias hidrogáficas, mais seis bacias de pequenos rios litorânoes e sete dos chamados pequenos rios interiores. Os rios afluentes do São Francisco (que divide o Estado com a Bahia), como o Pajeú, Moxotó e outros, têm regime temporário. Os rios que nascem no Planalto da Borborema (como o Capibaribe, Beberibe, Ipojuca etc.) são perenes nos seus médios e baixos cursos. O principal rio pernambucano é o Capibaribe, que corta, inclusive, a capital Recife.

Agricultura e pecuária - O setor agrário caracteriza-se pela monocultura da cana-de-açúcar (principal produto agrícola do estado) cultivada nos solos tipos massapê da Zona da Mata; o Agreste caracteriza-se pela policultura de gênero alimentícios, como feijão, mandioca, milho e banana; no Vale do São Francisco, atualmente a região mais promissora do Estado, há o cultivo de cebola, uva para produção de vinho e outras frutas para exportação. Em nível regional, Pernambuco tem um dos mais importantes rebanhos, com 2,1 milhões de cabeças (bovinos); 1,5 milhão (caprinos); 700 mil (ovinos); 600 mil (suínos). A pecuária leiteira está concentrada no Agreste e os rebanhos caprino/ovino no Sertão.

População - Em 2001, a população pernambucana é de 7.910.992 milhões de habitantes (6.052.142 milhões dos quais concentrados na área urbana e 1.858.850 residentes na área rural), com uma densidade demográfica (média de habitantes por Km2) de 72,04h. O Sertão apresenta baixa densidade, com média de 26h/Km2. É o segundo Estado mais populoso do Nordeste. Cidades mais populosas: Recife (1.421.947 hab.), Jaboatão dos Guararapes (580.397 hab.), Olinda (368.643 hab.), Paulista (262.072 hab.), Caruarau (253.312 hab.), Petrolina (218.336 hab.), Cabo (152.836 hab.), Camaragibe (128.627 hab.) Vitória de Santo Antão (121.269 hab.), Garanhuns (117.587 hab.).

Mineração - Os principais produtos extrativos minerais do Estado são o calcário, o gesso e a fosforita.

Polígono das Secas - Pernambuco tem um total de 87.317 km2 (que é a soma das regiões Sertão e Agreste) localizados no chamado Polígono das Secas, que, como o nome já diz, é a região nordestina sujeita a secas periódicas. Essa área corresponde a 88,84% do território pernambucano. A parte mais crítica é a região Oeste do Estado (onde estão municípios como Afrânio, Santa Filomena, Terra Nova e Floresta), que tem as menores e mais irregulares precipitações pluviométricas: a média anual não supera os 500 milímetros, com o registro de um elevado número de anos em que as chuvas não alcançam os 200 milímetros anuais e, muitas vezes, ocorrendo num curto período de 05 a 10 dias.

Regiões - Agreste Central, Agreste Meridional, Agreste Setentrional, Mata Norte, Mata Sul, Região Metropolitana do Recife, Sertão Central, Sertão de Itaparica, Sertão do Araripe, Sertão do Moxotó, Sertão do Pajeú e Sertão do São Francisco.

0
0
0
s2sdefault

Publicidade

banner google1

Parceiros

banner google1banner google1

Publicidade

banner google1

Multimídia