curta nossa página no facebook / Like us at Facebook Entre em nossa comunidade do orkut / Join us at orkut Siga-nos no Twiiter / Follow us at TwitterSiga-nos no Linkedin / Follow us at LinkedInAdicione-nos em seu círculos / Add us at your circles

Guerra dos Mascates

Guerra civil entre Olinda e Recife, desencadeada a 04/03/1710, depois que Recife foi elevada à categoria de vila. Olinda era o centro das decisões em Pernambuco e a aristocracia ali residente, embora em plena decadência, não aceitou a ascensão da povoação vizinha, onde os comerciantes (conhecidos por Mascates) começam a prosperar.

Os olindenses se rebelaram e atacaram a Vila de Santo Antônio do Recife; destruíram o pelourinho (que era o símbolo de autonomia da vila); soltaram os presos políticos.

No dia 07 de novembro daquele mesmo ano (1710), assustado com os conflitos edepois de ter sofrido um atentado à bala, o governador Sebastião de Castro e Caldas fugiu para a Bahia. Os olindenses elegeram governador o bispo Dom Manuel Álvares da Costa, que era indicado pelo Coroa para atender a uma eventual vacância do cargo.

O bispo perdoou os envolvidos no levante mas, como os ânimos ainda estavam exaltados, protelou abedecer a carta régia (datada de 19-11-1709) que elevava o Recife à vila.

Impacientes, desta vez foram os recifenses que se rebelaram e reiniciaram o conflito, a 18-06-1711. A 08 de outubro do mesmo ano de 1711, chega a Pernambuco, enviado pela Coroa, o novo governador Félix José Machado de Mendonça e Vasconcelos.

Ele vai residir no Recife (antes, os governantes residiam em Olinda, a capiatal) e fez cumprir a carta régia que instituía a vila. Mas os conflitos continuam e, a 07/04/1714, uma ordem real determina o fim das lutas e manda que o governador passe a residir seis meses no Recife e seis em Olinda. Em 1715, a situação volta à normalidade.

Powered by Bullraider.com

Parceiros

Publicidade

PE A-Z © Todos os direitos reservados

Console de depuração do Joomla!

Sessão

Informação do perfil

Memória Utilizada

Consultas ao banco