Conhecido como Cabugá, Antônio Gançalves da Cruz foi comerciante no Recife, onde nasceu na segunda metade do Século XVIII. Participou da Revolta Pernambucana de 1817, sendo nomeado presidente do Erário Nacional no rápido governo transitório instalado por aquele movimento, além de ser o encarregado de obter o reconhecimento da nova República por parte dos Estados Unidos.

Com a derrota do movimento, teve os seus bens confiscados e, embora permanecendo nos Estados Unidos, foi condenado à pena de morte. Após a proclamação da Independência do Brasil, retornou ao rio de Janeiro e, em 1831, foi nomeado cônsul-geral do Brasil na Bolívia, onde morreria dois anos depois.