Jornalista e escritor, Aníbal Fernandes nasceu em Pernambuco, a 30-12-1894. Fez os estudos secundários no Colégio Salesiano do Recife e no Seminário de Olinda. Formou-se pela Faculdade de Direito do Recife, em 1916. Ainda estudante, foi redator do "Pernambuco", jornal dirigido pelo professor Henrique Milet.

Em 1914, ingressou no Diario de Pernambuco, do qual foi diretor-redator-chefe. Ocupou vários cargos administrativos no Estado, como oficial maior do Tribunal de Justiça, oficial de gabinete do governador Sérgio Loreto e secretário de estado para os negócios da Justiça e Instrução Pública, no mesmo governo.

Em 1917, foi à Europa, onde fez estudos especializados sobre arte religiosa, percorrendo na ocasião a França, Itália e Suíça. De volta ao Recife, foi eleito deputado estadual. Apresentou projetos criando a Inspetoria de Monumentos Nacionais, para restaurar monumentos culturais no estado.

Com a Revolução de 1930, perdeu suas possibilidades políticas, além da cadeira de Literatura no Ginásio Pernambucano. Dedicou-se, então, exclusivamente ao jornalismo, foi redator de "O Estado", diretor de "A Cidade", além de redator do Diario de pernambuco.

Em 1934, foi reintegrado à cadeira de Literatura no Ginásio pernambucano e escolhido redator-chefe dos Diarios Associados. Foi membro da Academia Pernambucana de Letras e do Instituto Histórico de Pernambuco..