curta nossa página no facebook / Like us at Facebook Entre em nossa comunidade do orkut / Join us at orkut Siga-nos no Twiiter / Follow us at TwitterSiga-nos no Linkedin / Follow us at LinkedInAdicione-nos em seu círculos / Add us at your circles

Brasília Teimosa

"Rio de Janeiro - Após 35 dias de peripécias e tormentas numa longa travessia, chegaram hoje, a esta Capital, os heróicos pescadores do Recife, recebidos festivamente na Praça Quinze. Vieram defender reivindicações da classe e contam com a simpatia da Primeira Dama do País - Sra. Sara Kubitschek. São da Colônia Z-1, de Pernambuco. Voltarão de avião, pois a experiência foi amarga." ...

A notícia acima foi publicada por um jornal carioca, dia 30 de janeiro de 1956, e retrata um dos episódios mais gloriosos da trajetória de Brasília Teimosa, a mais antiga invasão urbana recifense cuja história, contada pelos seus próprios habitantes, rendeu um pequeno livro editado em 1986. Os heróis, no caso, eram cinco dos 12 mil pescadores que viviam numa colônia onde, no futuro, viria se instalar o bairro. Eles viajaram do Recife ao Rio de Janeiro numa pequena jangada para assistir a posse do presidente Juscelino Kubitschek e pedir-lhe ajuda, pois a comunidade vivia sob constante ameaça de expulsão da área que ocupava.

Dos cinco aventureiros da "penosa travessia", apenas o pescador José de Souza Salviano ainda estava vivo à época em que o livro foi publicado. De posse de velhos recortes de jornal, ele ajudou na reconstituição da história do bairro e lembrou, orgulhoso, detalhes da ousada viagem: contou que os aventureiros assistiram a pose, posaram para fotos ao lado de Juscelino e retornaram ao Recife "com muita ajuda" , sendo a principal delas um lote de 11 motores de 23 cavalos, doados pelo presidente da República para as embarcações dos pescadores. Seu José de Souza também confirmou a versão mais aceita para a origem de Brasília Teimosa:

Aos integrantes dessa Colônia Z-1, com o passar do tempo foram-se juntando outros moradores (a maioria biscateiros que não tinham onde morar) que acabariam por organizar a comunidade, onde atualmente vivem cerca de 50 mil pessoas.

A história de Brasília Teimosa (seu nome é uma homenagem à cidade de Brasília e a insistência dos moradores em não deixar a área) é marcada por conflitos. Tudo começou em 1930, quando o então governador de Pernambuco, Carlos de Lima Cavalcanti, mandou dragar uma área entre o mar e o Rio Capibaribe, para a construção de um aeroclube. Uma comunidade de pescadores que ali vivia não concordou em deixar a área e se iniciaram os conflitos. A comunidade resistiu até mesmo a dois incêndios misteriosos que destruíram todos os barracos; a várias investidas em que o governo empregava, clandestinamente, a Polícia Militar; e a outros tipos de pressão.

-Então, essa viagem do Recife até o Rio de Janeiro, cortando 1.124 milhas de mar, foi uma idéia para chamar a atenção para a comunidade, porque a gente era pescador, gente não letrada, mas sabia que a publicidade da nossa situação podia nos ajudar", contou o pescador Salviano que, na época do lançamento do livro, era o mais antigo morador de Brasília Teimosa e vivia de uma aposentadoria de um salário-mínimo. Segundo ele, a viagem, numa jangada de sete metros de comprimento por 1,90 de largura, não teve maiores transtornos porque todos os aventureiros eram pescadores, já acostumados com o mar. "Mais sacrificoso, mesmo, foi a construção do nosso bairro", comentou.

Sob o título "Brasília Teimosa", o livro é composto por textos que registram a história oral da comunidade (resultado de entrevistas com os moradores) ilustrados por desenhos de crianças também moradoras do bairro. O trabalho teve financiamento do Ministério da Educação e Cultura e foi organizado por uma equipe que incluía desde historiadora, pedagoga, professoras primárias das escolas locais até donas-de-casa, pescadores e crianças. Com 90 páginas, o livro teve uma tiragem de um mil exemplares, distribuídos entre os alunos das escolas da própria Brasília Teimosa. De linguagem simples e direta, a preocupação central do livro é deixar um registro da história da comunidade que surgiu de uma invasão de terras.

De acordo com o livro, os conflitos pela área onde atualmente está localizada a comunidade de Brasília teimosa e onde ainda hoje permanece a colônia dos "pescadores amigos do presidente Juscelino" têm muita a ver com a localização da favela. É que a comunidade é vizinha a Boa Viagem, um bairro de gente rica que não desejava a vizinhança. Mas, os textos do livro não são raivosos ou sectários. No capítulo que narra um dos incêndios ocorridos na comunidade, por exemplo, há duas versões para a tragédia. A primeira diz que "os pescadores acham que tinha muita gente rica interessada no terreno da colônia e botaram fogo em tudo". A outra versão conta que "foi por causa de uma mulher que deixou o filho sozinho no barraco e ele derrubou um candeeiro, fazendo tudo pegar fogo".

Segundo o Censo do IBGE, em 2000 o bairro de Brasília Teimosa tinha os seguintes dados:

População: 19.155 habitantes

Área: 65,4 hectares

Densidade: 292,78 hab./há

Powered by Bullraider.com

Parceiros

Publicidade

PE A-Z © Todos os direitos reservados

Console de depuração do Joomla!

Sessão

Informação do perfil

Memória Utilizada

Consultas ao banco