curta nossa página no facebook / Like us at Facebook Entre em nossa comunidade do orkut / Join us at orkut Siga-nos no Twiiter / Follow us at TwitterSiga-nos no Linkedin / Follow us at LinkedInAdicione-nos em seu círculos / Add us at your circles

Doces e Bolos - Bolo Souza Leão

 

O Souza Leão é o mais famoso e tradicional bolo brasileiro. Desde abril de 2008, através da Lei nº 13.428, é considerado patrimônio cultural e imaterial do Estado de Pernambuco. As primeiras notícias da iguaria são de quando foi servida pela família Souza Leão – de grande poder e influência no Brasil oitocentista – ao então imperador D. Pedro II e sua mulher, em visita à província pernambucana no ano de 1859.

Seus ingredientes são, basicamente, massa de mandioca, ovos, manteiga, leite de coco e açúcar, este último em bastante quantidade, herança da cultura açucareira nordestina. Apesar da ramificação da família, acredita-se que a receita original seja proveniente da cozinha de Dona Rita de Cássia de Souza Leão Bezerra Cavalcanti, senhora do antigo engenho São Bartolomeu – engenho que deu origem ao atual bairro recifense da Muribeca.

O bolo tem uma forma de preparo bem parecida com a do Bolo São Bartolomeu, que possui esse nome em homenagem ao engenho homônimo. A diferenciação dos dois bolos é o uso de especiarias, como canela, erva-doce e castanha de caju, que não estão presentes na preparação do legítimo Souza Leão.

Acredita-se que sua origem está numa receita lusitana, modificada, aqui, pela mesma Dona Rita de Cássia, que, durante visita do Imperador D. Pedro II, ficou responsável pelo cardápio servido à realeza e decidiu criar uma sobremesa em sua homenagem. O bolo foi preparado apenas com ingredientes nativos. A manteiga Le Pelletier foi substituída pela manteiga local, farinha de trigo pela massa de mandioca, vinho pela cachaça, leite de gado por leite de coco e adicionados ovos de aves criadas nos quintais dos engenhos. A criadora não colocou nome no bolo, que só foi batizado anos depois. Sua receita foi, por muito tempo, segredo de família, passado verbalmente de mãe para filha.

Seu lugar na gastronomia pernambucana é tão ilustre quanto à linhagem da família, que não permitia a sua degustação em qualquer utensílio. O bolo Souza Leão, segundo a tradição, deveria ser servido em pratos de porcelana ou cristal.

O primeiro membro da família Souza Leão no Brasil foi Domingos dos Santos Souza de Lyon, descendente de franceses, que desembarcou em Pernambuco, em 1756, aos 19 anos, a fim de tomar posse de uma sesmaria. Aqui, o sobrenome Lyon foi modificado para Leão. Ele casou-se com uma brasileira e deixou 15 filhos, além de muitas propriedades. Cada ramo da genealogia crê possuir a exata receita original do clássico bolo.

Há pelo menos um século e meio sendo preparado, o bolo sofreu algumas variações nas proporções dos ingredientes de sua receita, o que torna difícil dizer qual é, de fato, a original. Isso ocasionou o desenvolvimento de diferentes formas de preparação, cujos resultados são sempre muito saborosos.

Receita do Bolo Souza Leão

Ingredientes:

5 ½ xícaras de chá de açúcar
3 ½ xícaras de chá de água
3 xícaras de chá de manteiga
1 kg de massa de mandioca fresca e amassada
3 ½ xícaras de chá de leite de coco
22 gemas
1 colher de chá de sal

Preparo:

1. Leve o açúcar e a água ao fogo, criando uma calda em ponto de fio;
2. Adicione a manteiga, mexa bem e espere derreter;
3. Em um recipiente separado, misture a massa de mandioca ao leite de coco;
4. Jogue a calda quente por cima da massa;
5. Adicione as gemas uma a uma à massa, com cuidado para que elas não cozinhem;
6. Acrescente o sal, passe a mistura obtida em uma peneira três vezes;
7. Coloque em uma forma untada e leve ao forno, a 180 graus, por 50 minutos;
8. O bolo deverá ficar com uma consistência de pudim.

 


Fontes consultadas:

ALBERTIM, B. Trópico açucarado. Engenho de Gastronomia. Recife, n. 7, p. 15-22, ago/set. 2005.

BARBOSA, V. Bolo Souza Leão. Pesquisa Escolar Online, Fundação Joaquim Nabuco, Recife, 2008. Disponível em: <http://basilio.fundaj.gov.br/pesquisaescolar>;. Acesso em: 03 jun. 2014.

CAVALCANTI, M. L. M. História dos sabores pernambucanos. 4.ed. Recife: Fundação Gilberto Freyre, 2010.

SHINOHARA, N. K. S. et al. O Bolo Souza Leão: Pernambuco dos sabores culturais. Contextos da alimentação: comportamento, cultura e sociedade. São Paulo, vol. 2, n.1, 2013. Disponível em: <http://www3.sp.senac.br/hotsites/blogs/revistacontextos/wp-content/uploads/2013/06/CA_15_artigo_para-publicar.pdf>;. Acesso em: 03 jun. 2014.

PERNAMBUCO. Decreto Lei n.13.428 de 16 de abril de 2008. Considera o Bolo Souza Leão patrimônio cultural e imaterial do Estado de Pernambuco. Diário oficial [do] Estado de Pernambuco, Caderno Executivo, Recife, PE, 17 abr. 2008. p. 3.

Powered by Bullraider.com

Parceiros

Publicidade

PE A-Z © Todos os direitos reservados

Console de depuração do Joomla!

Sessão

Informação do perfil

Memória Utilizada

Consultas ao banco